Biofeedback

Controle da ansiedade e do estresse

Segundo Dr. David Servan-Schreiber, doutor em Ciências Neurocognitivas pela Universidade Caruegie Mellon (USA), foram desenvolvidas em algumas empresas, recentemente, pesquisas com resultados surpreendentes, relacionados a indução da coerência cardíaca por Biofeedback. Em Londres, seis mil executivos de grandes empresas como a Shell, Britsh Petroleum, Unilever, Banco Hong Kong Shangai e HP, além dos executivos da Motorola e do Governo da Califórnia (EUA), fizeram um treinamento de coerência cardíaca. Como resultado os participantes declararam terem se beneficiado do ponto de vista físico, emocional e social:

  • Em apenas um mês de treinamento, a queda na pressão sanguínea representou um índice igual ao que seria esperado se tivessem perdido dez quilos em um regime, e foi duas vezes maior do que se tivessem feito uma dieta livre de sal.
  • Em um mês de treinamento houve uma melhora notável no equilíbrio hormonal. Como por exemplo, a porcentagem de DHEA (hormônio da juventude), dobrou. A porcentagem de Cortisol (hormônio quintes-
    sencial do estresse, associado ao aumento da pressão sanguínea, ao envelhecimento da pele, à perda da memória e do poder de concentração) caiu 23%, em praticamente ¼ dos funcionários.
  • As mulheres executivas, mostraram excelente melhora nos sintomas pré-menstruais, com menos irritabilidade, depressão e fadiga.




Pesquisas feitas com gerentes de empresas mostram que aprender a induzir a coerência cardíaca pode levar a um declínio substancial nos sintomas comuns ao estresse. Os resultados comprovam:
Palpitações frequentes (ou o tempo todo) estimu-lados após um agente estressor: diminui de 47% para 25% em um curto espaço de tempo.

  • Tensão física: cai de 41% para apenas 15%, também em curto espaço de tempo.
  • Insônia: cai de 34% para apenas 6%.
  • Sentimentos e/ou sensações de exaustão: cai de 50% para apenas 12%.
  • Dores em geral (LER, dor nas costas, etc): redução de 30% para 6%.
  • Pessoas que diziam estar ansiosas na maior parte do tempo: redução de 33% para 5%.
  • Insatisfação pelo trabalho: redução de 30% para 9%.
  • Todos descreveram que adquiriram uma nova habilidade de lidar com os próprios sentimentos. Chegam a compreender exata-mente quando vai ocorrer um episódio de raiva e pensamentos negativos. Com isso, relataram uma habilidade de contornar melhor es-tas sensações.
  • Declaram viver melhor no trabalho.

Os testes ocorreram sem a utilização de medicamentos ou hormônios sintéticos. Foi utilizada apenas a técnica de Treinamento em Coerência Cardíaca com Biofeedback.

Os pesquisadores acreditam que o paciente percebe que cada pensamento seu acaba influenciando uma resposta dos sinais do sistema nervoso emitidos pelo aparelho de Biofeedback. Assim, a situação SUBJETIVA (pensamentos) começa a se tornar mais OBJETIVA. Quando uma pessoa tem pensamentos negativos, invasivos, distorcidos ou com supervalorização dos problemas, o apare-lho capta os sinais e digitaliza na tela do computador. Com isso o paciente percebe como o seu comportamento influencia em seu físico e como deve atuar para estar melhor.
Nas empresas, o Biofeedback pode ser utilizado para trabalhar o gerenciamento do estresse, da depressão, controle de ansiedade, fadiga crônica, exaustão, desistência profissional entre outras. Na área da Educação, ele auxilia no tratamento da hiperatividade, déficit de atenção, distúrbios de aprendizagem, concentração, impulsividade e ansiedade.