Prática Ortomolecular

O que é a Prática Ortomolecular?

Ortomolecular é o ramo da ciência cujo objetivo primordial é restabelecer o equilíbrio químico do organismo. O reequilíbrio acontece por meio do uso de substâncias e elementos naturais, sejam vitaminas, minerais e/ou aminoácidos. Estes elementos, além de proporcionarem um reequilíbrio bioquímico, combatem os radicais livres.

Todavia, apesar de a Ortomolecular ter um sentido curativo, ela também é eminentemente preventiva. Assim, é possível tratar uma pessoa com estresse antes que ele evolua para uma hipertensão arterial. Da mesma forma, é possível tratar obesidade antes que ela ocasione diabetes. O mais importante é que com a Ortomolecular o paciente volta a ser encarado como um todo, um conjunto que deve funcionar em harmonia.


Como é o diagnóstico?

O diagnóstico envolve a avaliação clínica e laboratorial com foco nos desequilíbrios
nutricionais e metabólicos. A função celular pode estar afetada por falta de matéria prima
nutricional adequada e/ou pela sobrecarga de substâncias tóxicas do meio ambiente (fumo,
álcool, drogas, metais pesados, etc).

Como é o tratamento?

O tratamento visa restabelecer nutrição funcional com correção de dieta e suplementação
nutricional, com afastamento quando possível das causas tóxicas e com estímulo adequado
para eliminação de toxinas.

A base da Terapia Funcional é prevenir o envelhecimento precoce. Ela está apoiada na máxima dos cinco “Rs”.

  • Remover toxinas – através de banhos, saunas, exercícios físicos, estímulos nutricionais,
    Homeopatia e Fitoterapia.
  • Rebalancear a dieta – observando sensibilidades alimentares, necessidades específicas,
    considerando-se a individualidade e não apenas a necessidade calórica do alimento.
  • Reimplantar a flora intestinal – melhorando a digestão, sobrecarga tóxica e administração de pró e prebióticos (lactobacilos, etc.).
  • Reparar danos celulares– oferecer nutrientes específicos para a mitocôndria (central
    energética celular).
  • Recolocar nutrientes – avaliação e administração adequada individualizada de minerais, vitaminas, aminoácidos e ácidos graxos essenciais (série Ômega – 3, 6 e 9).
Exemplos de casos clínicos

Um homem de 45 anos que trabalha mais de 12 horas por dia se queixa de fadiga crônica, dificuldade para dormir e para se levantar pela manhã, diminuição de libido e grande irritabilidade, entre outras queixas.

Seu jejum consiste em uma xícara de café preto e um pão com margarina. Sua próxima refeição será somente às 14 horas (às vezes um lanche), e depois às 21 horas quando como demais. Sabe que não está fazendo o correto, mas não sabe o quanto isto pode lhe roubar de qualidade de vida e como fazer para melhorar.

Seu especialista irá lhe orientar em relação a necessidade de boa matéria prima (nutrientes) de 3 em 3 horas, focando a utilidade de cada nutriente para a performance física e emocional. Essa abordagem poderá, isoladamente, evitar danos futuros sérios à sua saúde e qualidade devida.

Será recomendado adicionalmente, higiene do sono, prática de atividade física adequada, ao mesmo tempo da correção dietética, a prescrição de homeopatia, suplementação nutricional e quando necessário medicamentos alopáticos temporários, biofeedback.

Uma mulher com 42 anos que se queixa de dor de cabeça desde a adolescência. Agrava antes da menstruação, quando está mais estressada e quando o intestino está preso. Seu especialista lhe recomenda restrição à ingestão de cafeína, chocolate, leite e derivados, carnes embutidas, aspartame, shoyo (monoglutamato sódico), etc, e lhe prescreve medicamentos homeopáticos, suplementação nutricional, reorientação nutricional, etc.

As orientações são feitas baseadas em avaliações clínicas e laboratoriais e com o detalhamento do porque do tratamento, pelo especialista para o paciente, para engajamento ao processo de recuperação da saúde.